SBEC promove fórum gratuito de prescrição de Cannabis

Neste sábado à tarde (30), a Câmara dos Vereadores, em São Paulo, abre as portas para a quinta edição do Fórum Cannabis Medicinal, que aborda prescrição, direito e pesquisa. A abertura do evento será às 13 horas, com a palestra da vereadora Soninha Francine (PT-SP), seguida pela médica Eliane Nunes, diretora geral da SBEC (Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis), que organiza o evento. A programação é toda gratuita e vai até às 17h.

Com formação em psiquiatria e psicanálise, Nunes tem a experiência de décadas no trabalho exercido como médica do serviço público municipal. Conhece bem as dificuldades dos pacientes, que poderiam se beneficiar da Cannabis medicinal, mas não conhecem médicos especializados e também não possuem condições financeiras para isso.

No Brasil, é preciso indicação médica e autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para importar a Cannabis medicinal. Só é permitido o uso em casos refratários, ou seja, quando os medicamentos convencionais não funcionam.

Uma das pacientes de Nunes é Clarian, adolescente que nasceu com Síndrome de Dravet – doença que se manifesta no primeiro ano de vida, com inúmeras convulsões. No caso da menina, acompanhado por deficiência de cognição e de força muscular. Sintomas que melhoraram apenas aos 11 anos, quando pela primeira vez, a menina tomou o óleo de Cannabis.

A mãe de Clarian, Maria Aparecida Araújo, mais conhecida como Cidinha, conseguiu o medicamento por decisão judicial. Posteriormente, abriu uma associação de pacientes, a Cultive. Foi a forma que encontrou de ajudar às pessoas que vivem a mesma agonia que teve no passado: o desespero de não encontrar alívio ao sofrimento de filhos ou parentes.

A primeira parte do fórum aconteceu nesta sexta (29), mas foi restrita a médicos inscritos. O encontro contou com a presença do deputado federal Eduardo Costa (PTB-PA), que está na comissão criada para discutir o Projeto de Lei 399/15, sobre a comercialização da Cannabis medicinal, presidida pelo deputado Paulo Teixeira (PT-SP).

“Quem vai levar a Cannabis medicinal adiante no Brasil são os pacientes. Não é o interesse econômico, nem político, mas uma demanda real da sociedade”, disse ele em entrevista ao Cannabis Inc. Costa é médico ortopedista. “No meu consultório, muitos pacientes são medicados com antiinflamatórios e corticoides. Seria ótimo, se eu pudesse contar com uma terceira possibilidade de tratamento.”

Segundo ele, a terceira causa morte por medicamento é devido ao excesso do uso de antiinflamatório – que aumenta o risco de doenças cardíaca e prejudica os rins.

Quem não puder comparecer conta com a opção de acompanhar pela TV Câmara.

Segue abaixo a programação do dia: