Anvisa aprova o registro do 1º medicamento de Cannabis

Valéria França

Uma boa notícia para os pacientes de epilepsia refratária. Mesmo com a crise da Covid-19, a Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) aprovou o registro do primeiro medicamento de Cannabis, desde a publicação da nova legislação de comercialização do setor, em dezembro. O trâmite burocrático levou 45 dias, pelo que informou a agência.

A decisão foi divulgada nesta quarta-feira (22), no Diário Oficial da União. A notícia pegou o mercado de surpresa. Principalmente com a quarentena, a maioria dos players imaginava que as autorizações começariam a sair em 2021.

Trata-se de um fitofármaco da Prati-Donaduzzi, laboratório de genérico localizado no oeste do Paraná.  Um canabidiol puro, elaborado para o tratamento de epilepsia.

“O medicamento é uma espécie de genérico do Epidiolex, da inglesa GW Pharma”, diz Fabrício Pamplona, psicofarmacologista de canabinoides.

O produto foi desenvolvido com uma parceria pública-privado com a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. A Prati informou que o estudo clínico está no final da fase 3.

A empresa não divulgou o preço do medicamento, mas prometeu que ele estará à venda nas farmácias do país até o Dia das Mães, em maio.